Trabalho premiado no Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica 2020


A Doença de Parkinson apresenta diferentes sintomas. Dentre eles o tremor, a rigidez e a lentidão dos movimentos. Cada sintoma se associa a uma atividade elétrica anormal, produzida pelos neurônios (tipo de célula que compõe o cérebro).

Nosso grupo de pesquisa vem estudando estas atividades elétricas em pacientes com Doença de Parkinson, visando melhorar o seu tratamento. Durante as cirurgias para Doença de Parkinson (conhecidas como DBS), registramos a atividade elétrica de neurônios do Núcleo Subtalâmico, um pequeno núcleo cerebral onde implantamos os eletrodos de estimulação (painel A e B). Esta atividade elétrica tem uma frequência de 14 a 22 hertz (painel C) e ocorre em pulsos chamados “bursts” (painel D). Nossos estudos mostraram que estes “bursts” apresentam diferentes comportamentos entre os pacientes com Doença de Parkinson: os pacientes que possuem predomínio de tremor apresentam “bursts” mais frequentes e curtos, enquanto os pacientes onde predominam rigidez e lentidão, os “bursts” são mais raros e longos.

Este estudo foi premiado no atual Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica (2020). Os resultados apresentados poderão auxiliar a terapia DBS no futuro, melhorando o tratamento cirúrgico dos pacientes com Doença de Parkinson.

58 visualizações