Estimulação Cerebral Profunda - DBS

Estimulação Cerebral Profunda - DBS

 

A estimulação cerebral profunda consiste no implante de eletrodos em pequenos núcleos situados na profundidade do cérebro. Estes eletrodos transmitem estímulos elétricos de alta frequência, reduzindo, assim, as disfunções elétricas cerebrais que servem de base para o aparecimento dos sintomas. Estes estímulos são gerados por um marca-passo, implantado na região peitoral.

 

 

 

 

 

 

 

 

A cirurgia é dividida em duas etapas: (i) implante dos eletrodos, realizada com o paciente levemente sedado; (ii) implante do gerador, realizada sob anestesia geral.

Após a cirurgia, o Neurologista e o Neurocirurgião realizam o trabalho de determinar os melhores parâmetros de estimulação. À medida que a intensidade elétrica é aumentada, a dose de medicação vai sendo reduzida. Esta fase leva semanas a meses.


A bateria do marca-passo é trocada após um período médio de 4 a 5 anos (geradores não recarregáveis) ou 15 anos (geradores recarregáveis), através de um procedimento cirúrgico rápido. O sucesso da cirurgia depende da precisão na indicação cirúrgica e da experiência do Neurocirurgião. O implante preciso do eletrodo no alvo é fundamental para o bom resultado.

Lembre-se que a cirurgia é apenas o início de uma longa história. Escolha uma equipe que dê todo o suporte que este tratamento exige.

Veja abaixo como é feito um procedimento cirúrgico de Estimulação Cerebral Profunda - DBS