Distonia

Quais são as causas?

 

A causa exata da distonia não é conhecida, mas estima-se ser uma hiperatividade em várias zonas do cérebro – nos gânglios basais, no tálamo, no cerebelo e no córtex cerebral.

A distonia pode ser resultante de uma mutação genética, uma doença ou um medicamento. Algumas formas de distonia são hereditárias.

Quais são os sintomas?

A distonia afeta diferentes pessoas de várias maneiras. As contrações musculares podem afetar uma única área como: perna, pescoço ou braço, e é chamado de distonia focal. Também pode ocorrer durante uma ação específica, como a escrita. Os sintomas podem piorar com estresse, fadiga ou ansiedade e torna-se mais visível com o passar do tempo.

As áreas que podem ser afetadas incluem:

  • Pescoço (distonia cervical): As contrações fazem com que a cabeça torça e vire para um lado, ou puxe para frente ou para trás, às vezes causando dor.

  • Pálpebras: Espasmos rápidos ou espasmos involuntários fazem com que seus olhos se fechem (blefarospasmos) e dificultem a visão. Os espasmos geralmente não são dolorosos, mas podem aumentar sob luz intensa, estresse ou interagindo com pessoas.

  • Maxilar ou língua: Também conhecido como distonia oromandibular. O paciente pode apresentar dificuldade de mastigar ou engolir, dificuldades de fala, salivação excessiva. A distonia oromandibular pode ser dolorosa e geralmente ocorre em combinação com distonia cervical ou blefarospasmos.

  • Distonia primária generalizada: Esta distonia rara, também chamada de distonia de torção idiopática, é progressiva e, geralmente, hereditária. Em muitos casos, podem ser identificadas mutações genéticas específicas. O gene mais afetado é o DYT1. A distonia resultante é chamada de distonia de DYT1. Os movimentos involuntários resultam em posturas sustentadas, às vezes, estranhas. Normalmente, os sintomas começam durante a infância, em geral, virando o pé ao caminhar. A distonia pode afetar somente o tronco ou uma perna, mas, frequentemente, afeta todo o corpo, acabando por deixar a criança em cadeira de rodas. Quando esta distonia aparece em adultos, geralmente começa na face ou nos braços e, geralmente, não afeta a outras partes do corpo. A função mental não é afetada.

 

Fonte: Mayo Foundation for Medical Education and Research