Doença de Parkinson

Quais são as causas da Doença de Parkinson?

 

Ainda não se conhece as causas da Doença de Parkinson. Acredita-se que a doença possa ser o produto da interação entre fatores genéticos e ambientais. As causas relacionadas ao meio ambiente são presumidamente toxinas presentes globalmente. O efeito crônico (uso por tempo prolongado) destas toxinas (como pesticidas e herbicidas) pode ser determinante em pessoas geneticamente predispostas.
 

É importante ressaltar, contudo, que a exposição a qualquer um destes fatores de risco não garante o desenvolvimento da doença, assim como a ausência deles não garante proteção.

Fatores de risco

O maior fator de risco é a idade avançada. Os homens apresentam risco levemente maior que as mulheres. A história familiar é outro fator importante: indivíduos com um familiar de primeiro grau afetado apresentam risco duas vezes maior de desenvolver a doença. O maior risco também tem relação com fatores ambientais específicos.
 

O consumo diário de cafeína também está associado à menor incidência da Doença de Parkinson. O uso excessivo, contudo, (5 xícaras de café ou mais por dia) pode constituir fator de risco (observado principalmente em mulheres).

Pré-Disposição Genética

São conhecidos inúmeros genes que estão relacionados a um pequeno número de casos. O mais importante deles é o gene chamado Parkin, cuja mutação provoca Doença de Parkinson no paciente jovem (abaixo dos 40 anos). Este gene cria uma proteína, também chamada Parkin, que ajuda a quebrar proteínas indesejáveis (tóxicas) dentro dos neurônios. A alteração no gene Parkin compromete a quebra destas proteínas, gerando acúmulo das mesmas. É provável que este acúmulo dentro das células (neurônios) desencadeie a morte celular.

 

Outros genes responsáveis pelo surgimento da Doença de Parkinson incluem: o gene alfa-sinucleína, DJ-1, PINK-1 e UCHL-1, que juntos representam uma pequena fração dos casos. Deste modo, é provável que várias alterações genéticas, muitas delas ainda desconhecidas, possam estar relacionadas a esta doença.

 

Fonte: Dr. Fábio Godinho